ALERJ APROVA LEI QUE PRIORIZA OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO NA VACINAÇÃO CONTRA A COVID

ALERJ APROVA LEI QUE PRIORIZA OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO NA VACINAÇÃO CONTRA A COVID

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o Projeto de lei 9.040/20 (com complementações) que estabelece a prioridade na vacinação contra a covid, em todo o estado RJ, para os profissionais de Educação, Saúde, de Assistência Social, Segurança Pública, motoristas e trocadores de ônibus.

Em complementação ao PL 9.040/2020, foi aprovado também o PL 3.533/21, que determina o seguinte escalonamento para a vacinação dos educadores: começa com aqueles que estejam exercendo atividades profissionais presencialmente nas escolas; seguidos pelos profissionais de educação em grupo de risco; e, depois, por profissionais da educação que estejam exercendo atividades remotamente. A medida ainda prevê que os que não forem vacinados poderão optar por desempenhar suas atividades on-line.

Agora, cabe ao governador em exercício, Cláudio Castro, sancionar ou vetar as leis acima.

Em janeiro, o governo publicou o decreto 47.454, classificando a educação como atividade essencial nessa pandemia. Com isso, acreditamos que o governador irá sancionar os PLs em questão.

Outra notícia importante é que representantes da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) se reuniram com o ministro da Saúde e ele afirmou que a educação começa a ser vacinada em março. No entanto, temos que ver com bastantes reservas esse tipo de declaração, pois o governo federal, por total incompetência, não está conseguindo comprar as doses de vacinas necessárias para continuar com a vacinação, que sequer conseguiu atingir os muito idosos e todos os profissionais de saúde do país.

De qualquer maneira, a Feteerj e o Sindicato dos Professores da Baixada Fluminense (Sinpro) estão na luta para que as aulas presenciais só recomecem após a vacinação dos professores e demais funcionários das escolas, com a pandemia devidamente controlada.

FALECEU O PRESIDENTE DO SINPRO, PROFESSOR EDUARDO MONTEIRO

FALECEU O PRESIDENTE DO SINPRO, PROFESSOR EDUARDO MONTEIRO

Presidente do Sinpro Baixada, professor Eduardo Monteiro, na sede do Sindicato

É com imenso pesar que informamos o falecimento repentino do presidente do Sinpro Baixada, professor Eduardo Monteiro Dos Santos.

A notícia é extremamente chocante e triste para todos os professores e professoras de nossa região.

Toda nossa solidariedade aos familiares e amigos.

O professor Eduardo era muito querido e deixará enormes saudades. Ele tinha 50 anos de idade e muito ainda por oferecer à comunidade.

Além de presidir o Sinpro, ele presidia o Conselho Municipal do Trabalho e Renda de Belford Roxo.

Eduardo, presente!

O velório e o enterro ocorreram no domingo, dia 18, no Cemitério Memorial do Rio.

Nota de pesar da Feteerj.

Leia a nota de pesar da CONTEE.

 

Presidente do Sinpro Baixada, professor Eduardo Monteiro, na sede do Sindicato

NOTA DO SINDICATO DOS PROFESSORES SOBRE A REABERTURA DAS ESCOLAS NA BAIXADA FLUMINENSE

NOTA DO SINDICATO DOS PROFESSORES SOBRE A REABERTURA DAS ESCOLAS NA BAIXADA FLUMINENSE

O Sindicato dos Professores da Baixada Fluminense (Sinpro Baixada) não concorda com a reabertura dos estabelecimentos privados de ensino e da rede pública enquanto a pandemia do covid 19 não estiver controlada nos municípios da região: Duque de Caxias, Mesquita, São João de Meriti, Belford Roxo, Japeri, Magé, Guapimirim, Nilópolis e Nova Iguaçu; controlada segundo a aferição dos órgãos competentes, como a Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), Fiocruz e universidades públicas.

É notório que a pandemia do covid-19, motivo da suspensão das atividades presenciais desde março, ainda não está controlada e abrir as escolas, creches e universidades da região levaria milhares de professoras(es), funcionários e crianças a um contato direto; também levaria às ruas e transportes da cidade milhares de pessoas, aumentando o contágio e, por consequência, piorando o quadro da doença naquelas cidades.

Dessa forma, consideramos que as instituições privadas de ensino e a rede pública só podem ser reabertas após uma discussão profunda, com a participação de todas as partes envolvidas, e se baseando, principalmente, nas orientações científicas e sanitárias das autoridades pertinentes.

Eduardo Monteiro – presidente do Sinpro Baixada